PORTO DE MOZ – Pará

PORTO DE MOZ – Pará

Às margens do Rio Xingu, na Região Oeste do Estado do Pará, está localizado o município Porto de Moz.

Ainda na primeira metade do século XVII, com a chegada da expedição dos Jesuítas na Amazônia, começou o povoamento da região baixa do Rio Xingu onde o aldeamento do Muturu, estabelecido pelos capuchos de São José, deram origem ao lugarejo que atualmente representa a sede municipal do município de Porto de Moz. Desse modo, em 1758, seu território foi elevado a categoria de Município pelo governador e capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado, condicionando o aldeamento Muturu a proporção de vila, com a denominação de origem portuguesa, Porto de Moz, em cumprimento à Lei de 6 de julho de 1775 e fazendo a instalação em 16 de julho do mesmo ano.

Suas fronteiras foram delimitadas pelo ouvidor Madeira Fernandes permanecendo até 1801 quando foi adicinado em seu território o povoado Boa Vista. Consequentemente perdurando até 1890 quando felizmente, adquiriu a categoria de Cidade. Quarenta anos depois, impulsionado pela força do poder estadual, passou a integrar o território do município de Gurupá, restabelecendo, três anos subseqüentes, na categoria de subprefeitura e em 1937 tornou-se categoricamente município mantendo sua mesma denominação, Porto de Moz.

O município de Porto de Moz concentra atualmente em sua jurisdição somente três distritos: Porto de Moz (sede), Vilarinho do Monte e Veiros, tendo 74% de seu território como uma reserva extrativista onde os maiores potenciais econômicos são a madeira e o pescado, apresentando somente 4,1% de seu território com áreas desmata.

Contrastado com esses pontos positivos, o município por concentrar um grande número de ribeiros e comunidades tradicionais (Kilombolas), apresenta em sua base econômica uma acentuada fragilidade. Assim sendo, teve no decorrer de muitos anos a extração madeireira como pilar principal de sua economia decaindo com a criação da Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre. Atualmente sua economia norteia-se pelo serviço público municipal adicionado ao assistencialismo governamental, o pescado, dentre outros pouco relevantes.

Merece destaque também, e com uma influência positiva sobre a base econômica local, a criação bufalina. Primeiro, por ocupar uma grande extensão do município, felizmente sem impulsionar tanto o desastre ambiental; e segundo, por gerar renda e subsidiar economicamente várias famílias locais. A criação do gado comum exerce peso sobre a economia do município, mesmo com um rebanho pequeno, através da carne, do leite e seus derivados. Diante do cenário que compõe a economia deste município, faz-se necessário pontuar que o pescado já mencionado, predomina-se por pescadores artesanais.

Na questão turística, o município oferece lindas praias que no verão levam a este território pessoas de diversas cidades da região e de vários locais do Estado. Merece destaque a Chácara do Muturu, a praia do Monte Verde, a Vila do Tapará e a localidade do Campo, sendo que esta última reúne num único lugar a beleza natural formada por uma imensa diversidade vegetal que produzem ali a mistura das cores e o conforto generosamente ofertado pelo entusiasmo e a força da ecologia. Neste sentido, a vegetação denominada “sempre viva” destaca-se entre as espécies por apresentar um magnífico cenário florístico. Este conjunto de fatores dá a esta cidade o mérito de ser conhecida como “Paraíso do Xingu”.

Além de usufruir da sua biodiversidade, o município promove a abertura da temporada de verão com o evento denominado Fest Sol, consagrado como o maior evento artístico, cultural e desportivo da região oeste do Pará e por estar incluído na agenda cultural oficial do Estado. Este evento tem como objetivo principal promover uma celebração às tradições culturais do povo portomozense, como também reforçar os laços das tradições que se misturam todos os anos durante quase todo o mês de julho.

Este espaço promovido pela Prefeitura Municipal reúne uma complexidade de vozes que ao abrilhantarem o palco Fest Sol caminham na mesma trilha que é a de levar alegria, diversão e muita folia através dos diferentes ritmos musicais que embalam os foliões locais e o universo de turistas que sempre fazem presente nesta festa. Além das atrações musicais, o evento conta com outras atividades, como: concurso garoto e garota Fest Sol, luta livre, concurso de quadrilhas, e campeonatos de futsal de MotoCross.

Também são considerados como eventos culturais do município de Porto de Moz a Festa de São Braz e o Festejo do Bom Jesus dos Navegantes, que ocorrem em junho e outubro respectivamente. Ambos acontecem no final do mês e são movidos pela procissão, bingos, arraial, queima de fogos e venda de muitos produtos que todos os anos movimentam a economia do município. Só lembrando, antigamente também soltavam balões.

Porto de Moz ou “Paraíso do Xingu” como é popularmente conhecido, mesmo sendo uma pequena cidade a margem do rio Xingu, torna-se a cada ano ponto de encontro das diferentes populações que povoam a região do Xingu e de turistas de vários lugares do Brasil e até mesmo internacionais. Assim compõe espaço no cenário de destaque entre os municípios do Pará.

VEJA HOTÉIS & POUSADAS QUE A ROTEIROS BR ESTÁ INDICANDO PARA VOCÊ EM PORTO DE MOZ.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

two × three =

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Instagram