GUAÍRA – Paraná

GUAÍRA – Paraná

Berço das submersas Sete Quedas, Guaíra agrega de belezas naturais a registros da colonização jesuíta. O nome da cidade é de origem Guarani, cujo significado é esconderijo, local de difícil acesso. Tal nomenclatura remete as cachoeiras, que tornavam o Rio Paraná intransponível, dificultando a navegação.

Localizada no extremo Oeste do Paraná, a cidade faz fronteira com o Paraguai e o estado do Mato Grosso do Sul, tendo sua região pertencente aos indígenas até 1556, quando foi ocupada pelos espanhóis. Mas, foi somente por volta de 1900 que o município começou a se desenvolver, com o início da exploração da erva-mate.

Com população estimada de 32.923 habitantes, de acordo com o IBGE, a economia da cidade é pautada na agropecuária (com o plantio de milho, soja e mandioca), indústrias, comércio e turismo.

Um dos pontos mais relevantes da história de Guaíra foi o represamento do Rio Paraná, em 1982, para a construção da barragem da Hidrelétrica de Itaipu. Com isso as famosas Sete Quedas, que na época possuíam o título de maior catarata do mundo em volume de água, foram submersas.

Além de conhecer as maravilhas da fauna, da flora e ter contato com a história local nos museus e pontos turísticos, o visitante que estiver por Guaíra tem a opção de passear de barco pelo local onde ficavam as estrondosas quedas d´água. Nesse ponto do rio, as correntezas são mais fortes, sendo possível também observar algumas rochas que formavam os paredões da cachoeira. Com certeza um passeio inesquecível.

Se você gosta de relaxar e curtir uma pescaria, Guaíra tem boas opções para a prática da atividade. As águas da cidade também permitem a prática de esportes como wakeboard, caiaque, remo e stand up padle.

Caminhar pela mata nativa à beira de um rio, seguir as pegadas dos animais, ser observado pelos macacos. Assim é o passeio pela Trilha Ecológica Êdela Toldo, uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) com 57 hectares de área. Na caminhada de mil metros, os turistas podem observar a rica fauna e flora local, refrescando-se ao beber água direto da fonte.

Além de contemplar a grandiosidade do Rio Paraná, o turista pode relaxar passeando de barco pelas suas águas, o segundo maior rio sul-americano, com extensão total de 4880 km. Durante o verão, é possível ainda desfrutar de momentos de lazer nas bancadas de areia que se formam em alguns pontos de suas margens.

O turista que procura por alimentos frescos e saudáveis não pode deixar de passar na feira do produtor na Praça Duque de Caxias, aberta todas às quartas-feiras à noite e aos sábados pela manhã.

Dentre as diversas festas durante o ano, no mês de abril acontece na cidade a Festa das Nações, evento cujo objetivo é captar recursos para as entidades sociais do município. Vale destacar ainda a tradicional Fronteira do Leite, momento da feira que estimula os produtores através de palestras e competições, como o concurso Delícias do Leite, que premia o melhor doce, queijo e bebida láctea. Quem estiver pela cidade precisa conferir esse evento cheio de tradição, boa gastronomia e shows musicais.

Localizada a cerca de 680 km da capital, é possível chegar a cidade pelas rodovias BR-163 e BR-272. O acesso aéreo mais próximo que opera voos comerciais é o Aeroporto de Cascavel, a apenas 154 km de Guaíra.

Quem visita a cidade não pode deixar de experimentar o Pintado na Telha, prato típico cujo preparo segue a técnica indígena. O peixe era a base da alimentação nas aldeias.

Sua preparação na telha também deriva dessa época, visto que a argila era a principal matéria-prima para construção dos objetos da tribo. O resultado é um sabor peculiar, aprimorado pelas cebolas, pimentões, tomates, azeite de dendê, sal e leite de coco. Como acompanhamento, normalmente é servido arroz, pirão e farofa. Aos supersticiosos de plantão, reza a lenda na cidade de que o consumo do peixe ajuda na memória, acaba com as fraquezas do corpo e dá mais disposição.

Igreja Nuestro Señor Del Perdón, templo de história e fé, a construção se destaca pelas pedras brutas encaixadas, arquitetura normanda e vitrais de origem hispano-argentino. Já as imagens de santos com feições indígenas, como Ignácio de Loyola e Roque Gonçalves, evocam a catequese dos jesuítas. Foi inaugurada em novembro de 1934 pela Companhia Mate Larangeira (devido ao fundador Thomas Larageira), e fica aberta para visitação todos os dias.

Centro Náutico Recreativo, com uma bela escadaria e sete pavilhões dispostos em círculo, o prédio remete a uma aldeia indígena e é palco de vários eventos da cidade. A infraestrutura do local é bem ampla contendo, por exemplo, bosque para caminhadas, trilhas de ciclismo, canchas poliesportivas, lagoa artificial, área de camping, churrasqueiras e marina com atracadouro. Garantia de momentos de lazer para todas as idades.

Kartódromo Ayrton Senna, com apenas 700 metros de extensão, o local recebeu em 1982 ninguém menos que Ayrton Senna, durante o Campeonato Brasileiro de Kart. Com facilidade, o piloto venceu as três baterias, deixando seu nome registrado na história da cidade. Hoje, além de sediar campeonatos de kart, o local é também utilizado pelas pessoas na prática de atividades físicas.

Cine Teatro Sete Quedas, característico por suas paredes de tijolos à vista, o espaço suporta até duas plateias distintas, uma interna e outra externa, ao ar livre, de acordo com o evento. O local tem capacidade para 164 pessoas, sendo constantemente usado para exibição de filmes, peças teatrais, shows e apresentações artísticas.

Atelier do Frei Pacífico, dedicado à preservação da fauna e flora, o exfrei franciscano foi responsável pelo reflorestamento da Ilha São Francisco, no Rio Paraná. O acervo conta com aproximadamente 300 peças feitas em madeira e cerâmica, que remetem às belezas da natureza e cultura indígena. O local pode ser visitado mediante agendamento, e as obras do artista plástico e escritor podem ser adquiridas.

Lagoa Saraiva, com água escura e espelhada, a lagoa natural está localizada na Ilha Grande, com cerca de 20 km de comprimento e 10 a 12 metros de profundidade. O local é considerado um santuário ecológico, propício à reprodução de espécies.

Ponte Ayrton Senna, homenageando o inesquecível campeão brasileiro e mundial de Fórmula 1, a ponte liga a cidade de Guaíra, no Paraná, com o município de Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul. Construída sobre o Rio Paraná, em seu único trecho não represado, a obra tem 3.600 metros de extensão, sendo também caminho para o turismo de compras em Salto Del Guaíra, no Paraguai.

Museu Sete Quedas, os artefatos indígenas, animais taxidermizados e fotos de época presentes no museu eternizam a história e cultura local. O prédio com mais de um século já foi sede da Companhia Mate Larangeira, e alguns utensílios da indústria também estão presentes no acervo do museu.

Locomotiva nº 4, exposta na Praça Eurico Gaspar Dutra, a locomotiva remete a primeira ferrovia do oeste e noroeste paranaense, que ligava o município de Guaíra ao distrito de Porto Mendes. Foi construída em 1917 pela Companhia Mate Larangeira, com o propósito inicial de transportar erva-mate e madeiras de lei. Mais tarde serviu como transporte dos turistas que desejavam conhecer as Sete Quedas.

Parque Nacional de Ilha Grande, muita água e muito verde. Criado em 1997, o Parque Nacional de Ilha Grande é uma das maiores áreas de preservação ambiental do Paraná, unindo em seu vasto ecossistema o que há de melhor do cerrado e do pantanal. Sua área abrange oito municípios, além de Guaíra. Aberto todos os dias para visitação, o turista pode navegar e até nadar nas margens do Rio Paraná. Além das inúmeras belezas da fauna e flora, destacam-se também os sítios históricos e arqueológicos, nas áreas de ocupação das cidades jesuítas e índios Xetá.

Venha Investir na Cidade

Conheça os Hotéis e Pousadas que a Roteiros BR
Indica para você na Cidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Instagram