Descrição

ROTEIRO PARA POST

Quando Goiás pertencia à capitania de Sao Paulo, a cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã. Tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e de Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

O que fazer em Formosa

O povoado foi batizado de Arraial dos Couros em homenagem aos viajantes que acampavam no local em barracas de couro que eles traziam para comercializar. Formosa é uma cidade de importante riqueza natural, com grande número de cachoeiras, dentre elas destaca-se a Cachoeira do Itiquira.

Esta cachoeira está localizada a 34 km do centro da cidade, sendo considerada umas das mais altas da América Latina com 168 metros de altura. Outro ponto muito conhecido é a Lagoa Feia, com 6 km de comprimento e meio de largura e com profundidade entre 4 e 10 metros. Outros pontos turísticos da região são: Lajedo que forma grandes piscinas naturais; a Gruta das Andorinhas com aproximadamente 250 metros de profundidade; Buraco das Araras com aproximadamente 100 metros de profundidade; e o Rio Bandeirinha o qual forma várias cachoeiras.

Grutas, cachoeiras, sítios arqueológicos e esportes radicais. Formosa é o destino ideal para os aventureiros de plantão. Localizada no interior do estado de Goiás, em aproximadamente 78 km de Brasília (1h de carro) você chegará ao paraíso do ecoturismo. O local oferece estrutura e uma ótima gastronomia, mas o ponto chave da cidade está além dos perímetros urbanos. O município é considerado o berço das águas e capital do Nordeste goiano.

O turismo por lá se desenvolve a partir de três roteiros de visitação. O principal deles é o Caminho Itiquira-Indaiá, que inclui o Salto do Itiquira, uma das cachoeiras mais altas da América Latina e a sétima maior do Brasil, com queda d’água que ostenta 168 metros de altitude. Um paredão rochoso torna seu visual ainda mais esplêndido.

O Itiquira Park, localizado a menos de 800 metros da entrada do Salto, conta ainda com clube aquático, piscinas com águas correntes, sauna, área de camping, hospedagem em chalés, pontos de alimentação, bosques e rios para que toda a família possa desfrutar de alguns dias de lazer. A rota conta ainda com o Parque Ecológico Indaiá, que reúne várias cachoeiras, poços e a nascente do rio Itiquira. Os visitantes podem optar por quatro roteiros turísticos dentro na propriedade, cada qual com um determinado nível de dificuldade. Rapel e escalada estão entre os esportes radicais permitidos.

O cênico Vale do Paranã serve de rampa de voo livre. A partir de seus 1.300 metros de altura os praticantes da modalidade esportiva alcançam voos de até 3 mil metros. Não é por acaso que o local recebe uma etapa do campeonato nacional de voo livre anualmente.

O sítio arqueológico Toca da Onça, que é parte de uma propriedade particular, impressiona os turistas com as pinturas rupestres de aproximadamente 4.500 anos de existência e as raras formações de rochas calcárias.

É necessário agendar a visita previamente. Arqueológico do Bisnau. Trata-se de um enorme lajedo dentro de uma fazenda particular, que revela inscrições rupestres com cerca de 11 mil anos, intrigando pesquisadores e curiosos. Pela mesma estrada se acessa a cachoeira do Bisnau, uma belíssima queda d’água que flui a partir das bacias dos rios São Francisco e Tocantins-Amazonas.

Quem quer um pouquinho mais de adrenalina pode fazer rapel na cachoeira de 100 metros de altura. A mesma fazenda conta ainda com o poço verde, acessado apenas com guia, pois fica no meio da mata densa. Dentro deste mesmo roteiro também se inclui a caverna Escaroba, acessada apenas de rapel, descendo uma claraboia. O esforço é compensando pela beleza das formações rochosas e uma pequena queda d’água em seu interior. O mesmo esporte é utilizado para entrar no Buraco das Andorinhas, uma dolina formada há cerca de 30 milhões de anos.

Passada a adrenalina do esporte radical ou da trilha de alta dificuldade, utilizada por quem não quer descer os 60 metros de altura pendurado, se alcança uma surreal lagoa subterrânea de águas cristalinas e intensamente azuis. Pelas condições perigosas do percurso, é extremamente necessário o acompanhamento de um guia especializado e equipamento de segurança.

Atrativo parecido e igualmente complicado é o Buraco das Araras, uma enorme cratera com 105 metros de profundidade no meio do cerrado. Sua densa vegetação abriga samambaias gigantes, macacos e maritacas, além de esconder uma caverna com rios cristalinos.

A descida é só de rapel, com ajuda de instrutores, é claro. Outro ponto de visitação muito procurado é o Recanto das Cachoeiras, reserva particular a 59 km do centro de Formosa, que possui duas quedas d’água abertas para os banhistas se divertirem.

Por fim, o Caminho Formosa Colonial passa por casarões do século 18, pelo Museu Couros e a Catedral Imaculada Conceição. Sem deixar a natureza de lado, inclui no passeio a Mata da Bica, o Mirante do Cristo, a Lagoa dos Santos, o Lago do Abreu, o Laguinho do Vovô e a Lagoa Feia, que contradiz o nome. Nela os visitantes podem praticar diversos esportes aquáticos, como canoagem, jet ski entre outros..
Nayla Mayara – Roteiros BR

Cidade de Formosa - Goiás

Não há comentários ainda.

Seja o primeiro a avaliar “ROTEIRO – FORMOSA – Goiás”

Sua nota para esta escola
Escolha para avaliar