Os portugueses só chegaram à região do estado de Goiás após quase um século do descobrimento do Brasil. As primeiras ocupações deveram-se a expedições de aventureiros bandeirantes provenientes de São Paulo, destacando-se Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, que seguia em busca de ouro, tendo encontrado as primeiras jazidas no final do século XVII. Conta a lenda que diante da negativa dos índios de informar-lhe sobre o lugar de onde retiravam as peças de ouro com que se adornavam, Bartolomeu Bueno da Silva despejou aguardente num prato e a queimou, dizendo aos indígenas que o mesmo faria com a água de todos os rios e nascentes da região, caso não lhe fossem mostradas as minas.

Apavorados, os índios o levaram imediatamente às jazidas, chamando-o Anhanguera, que significa feiticeiro no idioma nativo. Em 1726, foi fundado, pelo próprio Bartolomeu Bueno, o primeiro vilarejo da região, denominado Arraial da Barra. Desde então, os povoados passaram a se multiplicar e a exploração do ouro atingiu seu auge na segunda metade do século XVIII. A colonização de Goiás deveu-se também à migração de pecuaristas que partiram de São Paulo no século XVI, em busca de melhores terras para o gado. Em 1744, a região onde hoje se encontra o estado de Goiás, antes pertencente ao estado de São Paulo, foi separado e elevado à categoria de província.

A partir de 1860, a lavoura e a pecuária tornaram-se as atividades principais da região, ao mesmo tempo em que a atividade de mineração do ouro entrou em decadência devido ao esgotamento das minas. A navegação a vapor e a abertura de estradas, no final do século XIX, possibilitaram o escoamento dos produtos cultivados no estado, permitindo o desenvolvimento da região. No século XX, a construção da nova capital, Goiânia, deu grande impulso à economia do Estado, que deu sinais de novo surto de desenvolvimento com a criação de Brasília, a nova capital do Brasil, em 1960. Com uma moderna infraestrutura de apoio ao turismo e pessoal treinado para receber os visitantes, o Estado de Goiás conta com ampla rede de hotéis, restaurantes, pousadas tradicionais e áreas de camping, distribuída pelas principais regiões turísticas.

As opções contemplam desde os que gostam de aventura até os que querem apenas contemplar a natureza com conforto e comodidade. Com cerca de 30% de sua área coberta pelo verde, Goiânia, a capital do Estado de Goiás, possui bosques, ruas arborizadas e parques ecológicos que garantem a qualidade de vida de seus habitantes. Entre eles está o Bosque dos Buritis, Parque Vaca Brava e Parque Flamboyant, entre outros. Em Goiânia as opções de lazer e turismo estão por toda parte. Cinemas, restaurantes, shoppings, boates, e bares bem localizados, com o requinte das grandes metrópoles do país. No Bosque dos Buritis fica o Monumento à Paz Mundial, obra do artista plástico goiano Siron Franco. Nele, terra de mais de 50 países está misturada em uma ampulheta de sete metros de altura, à base de concreto e vidro.

Outras obras de Franco, bem como de outros artistas brasileiros, estão expostas no Museu de Arte de Goiânia, construído dentro do bosque. Em Goiânia também fica o Jardim Botânico Chico Mendes, onde o canto dos pássaros, o lago e a reserva biológica com árvores frutíferas, orquídeas e bromélias são atrações. Goiás possui duas reservas da Biosfera, por reconhecimento da Unesco.

O Parque Nacional das Emas, em Chapadão do Céu, Região Sudoeste, na fronteira com o Mato Grosso do Sul. A outra está no Nordeste do Estado e compreende 26 municípios. A região compreende a Chapada dos Veadeiros (Parque Nacional), o Parque Estadual de Terra Ronca e o Parque Municipal de Itiquira, no município de Formosa. O Salto do Itiquira, com 168 m de queda livre, é um dos mais belos do Brasil. O complexo de Terra Ronca e Mambaí formam um dos maiores sítios espeleológicos da América do Sul. São mais de cem grutas, mundialmente conhecidas.

Há, também, sítios arqueológicos e a comunidade dos Calunga, negros remanescentes de quilombos. É nessa região que estão os locais mais apropriados aos esportes radicais, como rapel, trekking, voo livre, canoagem, parapente, balonismo, exploração de cavernas, escaladas, rafting, race e outros. Cidades como a antiga Vila Boa (cidade de Goiás), Pirenópolis, Corumbá, Jaraguá e tantas outras guardam um patrimônio histórico e cultural de rara beleza. A cidade de Goiás é reconhecida como Patrimônio da Humanidade, por reconhecimento da Unesco. Capital do Estado até a década de 1930, a cidade apresenta um rico patrimônio arquitetônico, do período colonial, restaurado e bem conservado. Desde 1999, realiza anualmente o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica).

Acontece também, um festival anual de teatro. Pirenópolis também pode ser visitada o ano todo, conhecida por suas belezas naturais e arquitetura colonial, está a pouco mais de 100km de Goiânia. Repleta de visitantes nos finais de semana a cidade dispõe de muitos hotéis, pousadas e restaurantes. Todas as cidades do Caminho do Ouro são de fácil acesso, por rodovias asfaltadas. Em todas elas o turismo histórico e o ecoturismo se juntam. Percorrer esses caminhos é uma verdadeira volta ao passado, pelo cenário, pela culinária e pelas paisagens do Cerrado.

É o caso do Parque Estadual dos Pireneus e o de Serra Dourada. Nesse roteiro estão as águas quentes de Caldas Novas e Rio Quente. Um resort e um grande número de hotéis e pousadas de excelente qualidade aproveitam esse fenômeno natural, com água corrente ou retirada de poços. A temperatura da água varia de 30 a 57 graus centígrados, o ano inteiro. As cidades de Caldas Novas e Rio Quente constituem um fenômeno do turismo nacional, com mais de quinze mil leitos oferecidos. É o terceiro parque hoteleiro e o maior complexo hidrotermal do País. Mais ao Sul do Estado, uma série de barragens de usinas hidroelétricas criaram espelhos d’água para esportes náuticos e lazer.

Destaca-se Cachoeira Dourada, distante 288km de Goiânia. Com o privilégio de possuir clubes termais de água salgada, uma raridade nacional, o município tem atraído milhares de turistas de todo o país. As águas quentes e salgadas de Cachoeira Dourada, provenientes das camadas profundas do subsolo, quando afloram à superfície, trazem em dissolução sais minerais (sulfato de sódio, bicarbonato, alcalina, cloreto, flúor, gases) que possuem diversas propriedades terapêuticas. Outras belezas naturais são Lagoa Santa, com suas águas medicinais, e o Lago Azul de São Simão, distante 288 km de Goiânia a cidade conta com potencial turístico incomparável. Três Ranchos contam com uma diversificada área de lazer, onde os turistas se divertem com a prática do jet-ski, lanchas e barcos de pesca. Distante 483km de Goiânia o município DE São Miguel do Araguaia está localizado no noroeste do Estado.

O Rio Araguaia divide Goiás e o Estado do Mato Grosso com aproximadamente 80okm de extensão. Nesse percurso a natureza proporciona aos turistas dezenas e mais dezenas de praias, com as mais diversas variedades de aves e peixes. O distrito de Luiz Alves, um balneário construído às margens do Rio Araguaia, distante 45km da sede do município, conta com uma excelente infraestrutura, conta com bares, lanchonetes, pousadas e hotéis. O local é o portal de entrada para a maior ilha fluvial do mundo: Ilha do Bananal. Considerada a capital católica do Estado, Trindade teve a sua origem por volta de 1840, denominada de Barro Preto. Segundo historiadores, naquela época, foi encontrada em uma olaria de propriedade de Constantino Xavier Maria, uma pequena imagem de barro, em formato de medalha, representando a Virgem Maria e a Santíssima Trindade. A medalha foi colocada em uma pequena capela.

Em 1886, Constantino mandou construir uma nova capela, utilizando esmolas oferecidas à Santíssima Trindade. Anos depois, pediu ao escultor Veiga Valle, da cidade de Pirenópolis, que esculpisse a imagem da Santa na medalha. Com a fé crescente do povo e o número cada vez maior de romeiros que vinham de todos os lugares para uma festividade de fé, foi necessário construir o grande Santuário do Divino Pai Eterno no alto da montanha. O local pode ser visto por todas as pessoas que se aproximam da cidade.