Do litoral ao semiárido, Sergipe apresenta diversos pontos turísticos, seja para quem gosta de aventura, para aqueles que não abrem mão do conhecimento histórico ou apenas para quem quer relaxar à sombra de um coqueiro numa das belas praias do litoral sergipano. O folclore local também é uma atração a ser vivenciada; é onde o turista perceberá o regaste e a importância que o sergipano atribui às suas raízes. Sergipe, que logo depois de ser desbravado foi denominado Sergipe Del Rey, evolui, desde então, mantendo o que há de mais precioso por aqui: a sua história, suas belezas naturais e alegria de um povo que não cansa de ser feliz e de acolher bem!

O menor estado brasileiro tem sua principal cidade considerada a “capital da qualidade de vida” do país. Rica em belezas naturais, cidade aconchegante e repleta da alegria do seu povo hospitaleiro, Aracaju é a expressão resumida do que todo o Sergipe pode oferecer: muito praia, sol e mar, além de encantadoras surpresas, capazes de conquistar todos aqueles que têm a oportunidade de conhecer este pedaço do Nordeste. A tranquilidade aracajuana contrasta com as linhas planejadas de uma cidade moderna com lugares fascinantes, que enchem os olhos com suas belezas naturais e sua riqueza histórica. No centro histórico você vai encontrar os mercados Antônio Franco (1926) e o Thales Ferraz (1949), agora reformados. Um excelente complexo de cultura, história e também um ótimo local de compras de artesanato e comidas típicas.

Calçadão da Rua Joao Pessoa – Localizado a 200 dos mercados é um excelente complemento para esse passeio onde encontramos o centro da nossa capital. Diversos bancos, lojas, restaurantes, casas lotéricas e os mais variados segmentos comerciais onde você poderá também caminhar no calçadão da rua de Laranjeiras. Praça Fausto Cardoso – É onde verdadeiramente começa o calçadão da rua Joao Pessoa, também conhecida como Praça do Palácio ou Praça dos Três Poderes, é onde está a antiga sede do Governo Estadual. Ponte do Imperador – Situada bem à frente da praça Fausto Cardoso é um marco na história da cidade, fundada em 11 de janeiro de 1860, durante muitos anos serviu de ancoradouro para embarque de passageiros e mercadorias.

Hoje é sede do Museu de Rua. Centro de Turismo e Artesanato – Com uma arquitetura ligada ao ecletismo, o prédio abriga hoje o Museu do Artesanato e também o Bureau de Informações Turísticas. Calçadão 13 de Julho – Localizado na zona nobre de Aracaju, o calçadão do bairro 13 de julho é uma das melhores opções para quem quer caminhar e sentir a brisa do rio Sergipe se encontrando com o mar. O complexo do calçadão ainda conta com pista para cooper, parque infantil, quadras de esportes, mirante e quiosques. Passarela do Caranguejo – O point mais alto-astral e badalado de Aracaju, localizado na praia de Atalaia, abriga os melhores bares da cidade. Música ao vivo, água de coco, cerveja gelada, petiscos saborosos, caranguejo e muita gente bonita te esperam para curtir a noite sergipana na beira da praia.

Parque da Cidade – Recentemente reformado, o Parque da Cidade volta a ser novamente uma opção de lazer e diversão para a família sergipana e o turista que visita Aracaju. O parque oferece quadras esportivas, pista para caminhadas e ciclismo, zoológico, lanchonete e restaurante. Destaque para o teleférico que percorre o parque de ponta a ponta. Orla do Bairro Industrial – Próximo ao Calçadão e ao lado dos mercados centrais, é outro ponto da cidade que foi recentemente revitalizado com bares e restaurantes.

Atualmente foi contemplado com uma bela vista que abrange a ponte Aracaju – Barra, inaugurada há pouco mais de 2 anos. Destaque ainda para o novo mirante, que possibilita uma visão mais ampla do local. Oceanário – O Oceanário de Aracaju apresenta em sua estrutura diversos aquários contendo exemplares da vida marinha presentes no litoral do nosso país. O principal destaque fica por conta das tartarugas marinhas do Projeto Tamar. O complexo ainda ressalta as ideias de preservação ambiental e a aproximação com as espécies marinhas. Parque da Sementeira – Este belo parque passou por uma recente revitalização, proporcionando assim maior conforto e segurança para esportistas que fazem caminhadas e ciclismo. Para o lazer em família o parque tem pedalinho, restaurante, lanchonete e espaço para piquenique. Sergipe também tem muita história para contar.

As cidades de Laranjeiras e São Cristóvão (sendo esta última a quarta cidade mais antiga do Brasil) guardam em suas ruas, prédios, museus e arquivos grandes momentos da história do estado, o que fez com que ambas as cidades fossem tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional. A beleza de seus acervos arquitetônico, cultural e religioso rendem até hoje o destaque destas duas cidades não apenas dentro das demais cidades sergipanas, como entre as grandes cidades históricas do nosso país. São Cristóvão traz consigo a memória da primeira capital de Sergipe. Fundada por Cristóvão de Barros em 1590, além de preservar um belíssimo conjunto arquitetônico dos séculos XVII e XVIII, desenvolvido segundo o modelo urbano português, e um folclore, com sua maior representatividade nos Bacamarteiros conhecidos em todo o estado, destaca-se pelo seu patrimônio religioso, que inclui diversas igrejas como a Matriz Nossa Senhora da Vitória e a do São Francisco, conventos, como o do Carmo, que inclui em seu complexo a Igreja e a Ordem Terceira, e o Museu de Arte Sacra de Sergipe, o terceiro maior do país em número de peças expostas.

Em Laranjeiras, além do vasto complexo religioso, que inclui 16 igrejas, entre elas a do Bom Jesus dos Navegantes e a de Nossa Senhora da Conceição da Comandaroba, o patrimônio cultural é preservado e apresentado ao público como forma de manutenção da história do estado. A cidade, que se desenvolveu através da produção de cana-de-açúcar e cresceu às custas do trabalho escravo, hoje é conhecida como o berço da cultura negra de Sergipe e reúne um grande número de manifestações folclóricas, por diversas vezes divulgadas em nível nacional.

A chegança, as taieiras, os lambe-sujos e os caboclinhos são algumas das expressões que atraem diversos curiosos e simpatizantes do folclore regional todos os anos para as festas realizadas na cidade. O esforço conjunto do homem e da natureza deu ao Agreste sergipano um dos mais belos espetáculos do planeta. Paisagens belíssimas, formações rochosas deslumbrantes, água cristalina, trilhas ecológicas, vegetação exuberante e fauna diversificada: Isso é Xingó, localizado no município de Canindé do São Francisco, a 213 km da capital. Navegar por entre as rochas dessa gigantesca muralha encravada no meio do Alto Sertão de Sergipe é algo inesquecível.

São vales grandiosos, formando canyons de 50 metros de altura, circundando um lago que, em alguns pontos, atinge até 190 metros de profundidade. Ninhais de garças e ilhas flutuantes completam o espetáculo. Em Xingó, a natureza caprichou em todos os detalhes. As rochas guardam vestígios dos primeiros habitantes da região, que ali viveram a mais de oito mil anos. E, também, as marcas das andanças do bando de Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião, em tempos menos distantes. A trilha de Angico, no município de Poço Redondo, leva à grota do mesmo nome, local onde morreram Lampião, Maria Bonita e mais nove companheiros. Ver e dar um mergulho no rio São Francisco é uma emoção muito forte, uma experiência cheia de energia.

Mas emocionante, mesmo, é conhecer o Canyon de São Francisco e o Lago de Xingó – resultado do represamento de parte do rio para a construção da Hidrelétrica de Xingó – mergulhar nas suas águas esverdeadas e sentir a grandiosidade proporcionada por paredões de arenito rochoso, contrastando com pássaros de diversas espécies é um espetáculo à parte. Em pleno semiárido nordestino, na ponta de entrada da caatinga, tendo ao fundo a Serra do Chapéu de Couro, o canyon, com seu lago navegável por 60 quilômetros – de Xingó a Paulo Afonso – oferece deslumbramento em cada reentrância de seus paredões.

As antes inavegáveis corredeiras deram lugar a águas mais calmas, possibilitando inesquecíveis passeios de catamarã num labirinto de belíssimas formações rochosas, de 60 milhões de anos de existência, que infundem respeito e admiração em quem as contempla. De catamarã ou lancha, percorrer esse mar em pleno sertão – que une os estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco – é uma sucessão de belas imagens, geradas pela evolução dos pássaros ao entardecer e pelas formas de seus rochedos, identificados um a um pelos ribeirinhos. O mais famoso é a Pedra da Águia, um capricho da natureza com a forma da ave.

Todos os passeios incluem paradas para mergulho, sendo um dos melhores pontos a Gruta do Talhado. As praias do Saco, Abaís, Pontal, Terra Caída, Caueira e a ilha do Sossego traduzem a beleza de toda a Costa das Dunas, na região Sul de Sergipe. Uma região que se completa com Mangue Seco, na Bahia, onde o escritor Jorge Amado inspirou- se para o romance Tieta. Chega – se a ela por Sergipe. Em Estância, as praias do Abaís e Saco têm completa infraestrutura turística, com pousadas, hotéis, camping e restaurantes. Dunas e coqueirais silvestres são um privilégio de toda a região. Um verdadeiro paraíso litorâneo, que se estende até o município de Itaporanga D’Ajuda, precisamente à praia da Caueira, um dos recantos mais encantadores de Sergipe.