O jovem e promissor Estado do Tocantins nasceu com a constituição de 1988, porém, apesar de seus poucos anos de criação, sua história é marcada pelos mais 300 anos de ocupação dos colonizadores europeus que se depararam com as várias etnias indígenas que habitavam a região. O ouro foi a primeira riqueza explorada, no fim do século VXII, o que deixou marcas na história e na cultura do Estado. Com o declínio do garimpo, a criação de gado e a produção agrícola começaram a ganhar importância econômica. Nos últimos anos, o Brasil e o mundo estão descobrindo outra riqueza sobrepujante que o Tocantins oferece: cenários naturais belíssimos com grande potencial turístico.

No centro do planalto central e banhado, em toda sua extensão, pelos rios Araguaia e Tocantins, o Estado abriga ambientes naturais de grande importância socioambiental, como a Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do mundo; o Jalapão, conhecido como o “deserto das águas” por abrigar ambiente típico de savana, mas com grande riqueza hídrica; e o Cantão, que é o maior ecótono do planeta. Ainda, Palmas, a mais nova capital do País, possui uma arquitetura moderna e é considerada a cidade das oportunidades e da qualidade de vida. Embora o Cerrado seja a vegetação predominante, é possível encontrar ainda áreas de Floresta Amazônica e áreas com característica pantaneira.

Reunindo diferentes povos e etnias no período do garimpo, o Estado atualmente possui uma grande variedade de manifestações culturais e tradições, moldadas principalmente pela fé e pela religiosidade, que sobrevivem e se ressignificam, formando a identidade dos tocantinenses. A criação do Estado enriqueceu ainda mais a cultura da região com a chegada de imigrantes das regiões Nordeste, Sudeste, Sul, Centro-Oeste e de outros estados da Região Norte. O Tocantins reúne atrativos para todos os segmentos turísticos: uma natureza com rios, cacheiras, lagos, praias, serras, cânions, cavernas, grande diversidade de fauna e flora; rica cultura com influência ainda preservada de povos tradicionais; culinária que valoriza produtos locais e a tradição dos povos que aqui se desenvolveram; arquitetura antiga e moderna; artesanato que destaca culturas ancestrais; e as festividades e tradições influenciados pela fé do seu povo.

O turismo é uma das atividades econômicas no Estado mais relevantes, vem se destacando por seu potencial e produtos nos mercados: nacional e internacional. O Estado do Tocantins foi criado em 1988, desmembrado de Goiás. Possui 1,3 milhões de habitantes distribuídos em 139 municípios. A capital é Palmas, instalada em 1990, na margem direita do Rio Tocantins, com mais de 180 mil habitantes. E esses fatores têm levado o estado do Tocantins a se estruturar para conquistar esse mercado, considerando as potencialidades favorecidas pela localização. A SICTUR (Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo) elegeu em 2005 quatro regiões prioritárias para investimentos em infraestrutura turística.

São elas: Palmas e entorno, Jalapão, Lagos do Cantão e Serras Gerais. A SEPLAN está realizando o Plano Estadual de Turismo que será desenvolvido pela recém-criada Agencia Estadual de Turismo. Dentro desse cenário as principais oportunidades estão relacionadas ao turismo da natureza, aventura e o turismo que associa lazer a atividades de pesquisa e investigação científica. Todas elas carentes de implementação de infraestrutura turística de qualidade. Existem alguns pontos fortes para investidores como bom nível de integração com órgãos do governo estadual e aumento do faturamento nos últimos três anos para 44% das empresas. Palmas e entorno: Palmas está estrategicamente situada entre a serra do Lajeado e o rio Tocantins o que disponibiliza possibilidades de investimentos variados, tanto em praias como em ecoturismo.

Na serra encontramos 75 cachoeiras, muitas na região de Taquaruçu a 32 km de Palmas, o distrito tem um perfil totalmente turístico, com infraestrutura completa. As praias que surgiram com o represamento da Usina Luiz Eduardo Magalhães, foram estruturadas pelo projeto Orla e oferecem inúmeras opções de investimento e lazer. Lagos do Cantão: O Cantão está situado numa área de aproximadamente 90 mil hectares, abrangendo as cidades de Caseara e Pium. A vegetação mescla floresta amazônica, cerrado e pantanais do Araguaia, tornado a região um paraíso do ecoturismo.

Encontramos nela 833 lagos, inúmeras praias (na época da seca quando as águas baixam), uma ampla rede de canais naturais onde animais como aves (mais de 500 espécies), jacarés, botos, tartarugas, gaivotas, podem ser observados com intimidade, e várias opções de locais para prática da pesca esportiva. Os passeios podem ser feitos a cavalo, em barcos, caiaques, cruzeiros fluviais ou safári fotográfico. Serras Gerais: Na região sul do estado entramos uma grande diversidade natural e cultural, esse polo turístico baseia-se principalmente nas regiões das cidades de Dianópolis e Natividade.

Ricas em atrativos culturais devido ao conjunto arquitetônico preservados da época do império e festas populares de conhecimento nacional como a Romaria do Senhor do Bonfim, e a festa do Divino. Esses fatores agregados pela a privilegiada localização numa região de serras, onde encontramos cachoeiras de águas cristalinas, lagos, grutas e rios, fazem do sul do estado um importante polo de desenvolvimento turístico. A cidade de Natividade foi tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional e participou em 2006 de um projeto do IPHAN que está revitalizando e investindo maciçamente no turismo de algumas cidades selecionadas. Natividade foi umas dez primeiras cidades do Brasil a dar início ao projeto.