No Ceará está na lista de cenários esperados: uma jangada ao mar, deslizando sobre águas verdes e com lindas falésias coloridas ou dunas de areia branca compondo o quadro. E o melhor é que, com mais de 570 quilômetros de litoral, o estado não regateia e entrega muito mais do que o visitante vem buscar. Além das praias e do sol, tem artesanato de qualidade, com redes, trançados de cipó e carnaúba e renda de bilro, resultado da mistura da cultura indígena com técnicas europeias trazidas pelos colonizadores.

A religião, outro traço forte do povo cearense, abre caminho para o turismo no sertão. Juazeiro do Norte desperta a curiosidade com os milhares de devotos espremidos em torno da gigantesca estátua de Padre Cícero, considerado milagreiro. Mas é na capital, Fortaleza, que uma alegre romaria acontece, especialmente no verão. Perto de 2,5 milhões de turistas por ano – o mesmo número de habitantes da cidade – escolhem passar as férias ali. E parece que todo mundo marca encontro na Praia do Futuro, a melhor orla urbana, na qual as mega barracas equipadas com restaurantes, internet wi-fi e até centro de estética vivem apinhadas.

Na vizinha Aquiraz, a leste, é esticada obrigatória o Beach Park, na verdade um complexo que inclui uma barraca, toboáguas para todos os níveis de adrenalina e hotéis. A 35 quilômetros da capital, para o oeste, seu passeio de jangada está garantido na Praia do Cumbuco, com águas calmas e muito vento, o que atrai o colorido dos praticantes de kitesurfe. Essa turma foi descobrir na linda praia de Flecheiras, no município de Trairi, outros bons ventos para se soltar no mar puxados por pipas. Mas o destino mais desejado no litoral do estado é mesmo Jericoacoara, com dunas para passear de bugue e ver o pôr do sol, mar verdinho, vila charmosa e a Lagoa de Jijoca ali perto, para descansar nas redes dentro d’água. Como beleza nunca é demais, vale a pena avançar até Camocim, a 87 quilômetros de Jeri, para chegar a algumas das mais extraordinárias praias cearenses, Tatajuba e Maceió, com tudo que a sua lista dos desejos: mar, dunas brancas, coqueiros, lagoas.

Para arrematar, mas aí com acesso só de bugue ou 4×4, Barra dos Remédios, onde as águas do rio se encontram com o mar – deserta e deslumbrante. E não para por aí, o Artesanato do Ceará está para sempre ligada a figura da mulher rendeira. A renda, também conhecida como renda-de-bilbo ou renda da terra é a atividade exercida por mulheres nas comunidades interioranas e sua produção está distribuída principalmente na faixa litorânea.

O labirinto foi introduzido no Brasil pelo povoador português. É encontrado nas praias cearenses, praticado por mulheres de jangadeiros, principalmente na região de Aracati, Beberibe, Cascavel e Fortaleza. O artesanato de cestarias e do traçado no Ceará é dominado pelo emprego da palha de carnaúba, do bambu e do cipó, para a confecção dos mais variados objetos, tais como: chapéus, bolsas, cestas, etc. Os núcleos mais destacados estão nos municípios de Sobral, Russas, Limoeiro do Norte, Jaguaruana, Aracati, Massapé, Crateús, Baturité e Camocim. A cerâmica cearense, de influência portuguesa, indígena e africana, se presta para fins utilitários, decorativo e lúdico.

Além de Fortaleza, os centros mais representativos são: Cascavel, Ipu e Juazeiro do Norte. O Ceará possui uma antiga tradição de artigos artesanais feitos de couro. A significativa participação da pecuária e exportação de couros na nossa economia explica a rica variedade de peças artesanais produzidas com esse material.

Os principais núcleos produtores são: Fortaleza, Jaguaribe, Crato e Juazeiro do Norte. A artesanato têxtil do Estado tem como principal característica a produção de redes maciçamente localizadas nos municípios de Fortaleza e Jaguaruana.

O artesanato de metal abrange diferentes ramos, tais como: latoarias, ferraria, serralheria e cutelaria. No artesanato de madeira, o Ceará destaca-se na fabricação de móveis de todos os tipos. Em Fortaleza, Canindé, Cascavel e Juazeiro do Norte é bastante difundida e pequena a indústria imobiliária.

Em Barbalha existe artesanato ligado a maquinaria de engenhos de cana. Os escultores e trabalhadores em madeira estão concentrados, em grande parte, na capital cearense. No artesanato de artes gráficas, a mais importante contribuição artística do Ceará é a xilogravura para a ilustração de capas de folhetos de cordel. A religião no Ceará tem profundas ligações com o artesanato e os imaginários são uma prova concreta da paixão do povo por suas crenças e seus santos representados pelas imagens de santos. Dois centros destacam-se como locais de veneração místico-religiosa: Juazeiro do Norte e Canindé. O Ceará é um estado onde a criatividade reina em se tratando de arte.

Você vai poder encontrar uma variedade enorme no artesanato, com suas características regionais. Seja litoral ou sertão, em cada região a arte tem a sua marca. A dica é: traga espaço sobrando na sua mala, pois você não vai conseguir ir embora do estado sem levar uma lembrancinha do Ceará. Enfim, você vai ter ótimas recordações do lugar e vai querer sempre estar bem perto de algo que lhe recorde destes momentos tão divertidos.